Convite da puta safada e seu corninho

  • novembro 18, 2022
  • 13.734 views views
3 votes

Era um sábado sem muitas pretensões, mas de repente, o meu astral sofreu uma reviravolta e coisas boas fluíram, primeiro foi num restaurante onde abordei uma garota dos deuses, maravilhosamente linda; já a conhecia de vê-la no recinto; não a conhecia, mas trocamos alguns olhares e sinais só perceptível por quem está querendo ser notado. Impetuoso como sou quando se trata de mulher bonita, procurei o garçom que me deu informações importantes sobre a pretendida e nessa linha pedi que ele encaminhasse pedido de um drink com as indicações que escrevi para ser aviada. Tão logo o pedido foi entregue, tomei a taça na mão e me dirigi à mesa ocupada pela garota e presenteei-a com o drink. Esta ousadia me rendeu horas de muito prazer em minha casa. Voltei do portão depois que o carro da garota saiu e ouvi o telefone tocando, de logo atendi.
Alô! Gostaria de falar com o Sr. X.
Era uma voz estranha, diferente de todas as que conhecia, mas segui.
É ele, em que posso ser útil!
A interlocutora foi explicita.
Em primeiro lugar quero lhe parabenizar pela organização de sua festa a qual fui uma de suas convidadas através do meu marido, adorei a sua iniciativa em ofertar uma flor a todas as mulheres presente, eu particularmente me emocionei, me senti uma mulher frustrada por não ter falado com você naquela hora ao menos para agradecer, me deu uma tremedeira e eu entalei, mas agora estou sendo recompensada porque estou ouvindo a sua voz; Meu nome é Juliana e sou esposa de Gabriel, diretor do órgão que sua empresa tem relacionamento. Tentei lhe ligar várias vezes para lhe fazer um convite, mas seu telefone se encontrava desligado hoje é o aniversário de meu marido e eu vou dar uma festinha muito particular e gostaria que você estivesse presente, se aceitar será só para nós três, mas garanto ser muito aconchegante dentro da perspectiva de um garanhão da sua estirpe.
Tomou folego, acho que até deu uma risadinha e continuou.
Por tudo que sei de você vou me empenhar para estar à altura da sua fama de predador de casadinhas inveterado. Fico ansiosa de conhecer sua resposta.
Me chamando para ir a sua casa nessa noite, mesmo depois de uma tarde com a garota do restaurante numa sessão de sexo bruto, aceitei porque sou virado numa porra, ligado em bateria permanente.
Não me conheço com todos esses dotes pessoais, no entanto nunca faltaria a um convite de uma mulher tão decidida, vou me esmerar em não me atrasar.
Rebusquei na memória esse nome sem encontrar resultado positivo, do marido eu lembro dele na festa sem decifrar esse enigma da fisionomia da sua acompanhante. Não me falou a hora e eu tive que improvisar e decidi chegar lá pelas vinte horas. Precisava de um bom banho e dali fui tirar uma sesta com muito tempo para recuperar as energias dispendidas na trepada com a gostosa. Acordei já na hora de me encaminhar para o aniversário com uma bocetinha voando na minha direção; estas mulheres se apoiam em tudo quando querem foder. Seguindo as dicas do percurso cheguei ileso a sua casa e ela veio em minha direção, me abraçou com os beijinhos de boas-vindas e seguimos abraçados pelo jardim que circundava a casa, notando que sua arquitetura tem todos os traços de modernidade, entramos e me entusiasmei presenciando que a sala era mobiliada com esmero e fomos para um cômodo e logo ao primeiro olhar presenciei a sofisticação que se destacava pela beleza de seu tema; a anfitriã não me largava satisfeita com as minhas reações em apreciar o seu bom gosto e continuando o trajeto do recinto interno e passando por um ambiente que me pareceu um lavabo, ela acintosamente me empurrou na direção do cubículo e me beijou na boca, com veemência de uma ansiedade incontida e disse
Você me devia isso desde a sua festa
E me beijou de novo com mais selvageria e volúpia, depois justificou.
Durante esses dias fiquei com esse beijo entalado e agora satisfiz meu desejo, foi uma noite de vigília e expectativa memorizando o que fazer para lhe atrair a minha casa e satisfazer minha vontade de uma noite de amor com você
Depois desta conversa ela passou a mão sobre a minha pica alisando de cima a baixo, eu a puxei para mim e sem constrangimento levantei sua saia e levei a mão na sua boceta com os dedos afoitos já em guarda e senti que ela não usava calcinha.
Ficou surpreso! Deixei de usar para não lhe dar trabalho de tira-la.
Sorri de enfeite e continuei apalpando a xana e os dedos rocando no rego dos lábios da boceta, ela se esvaindo em gemidos e frêmitos. Se soltou de mim ao ouvir passos.
Deve ser o maridão que chegou do mercado.
Saiu ao seu encontro e recebeu um pacote contendo whisky do bom, umas guloseimas e uma cesta de uvas em cachos grandes, bem madurinhas e suculentas. Juliana colocou na mesa e disse imperativa e autoritária.
Olha aí corno, você está sabendo que hoje é o seu aniversário! Eu quis que fosse uma surpresa, para isso eu convidei AF para festejar esse acontecimento conosco, a comemoração será em grande estilo.
Mesmo sabendo que todo corninho é submisso eu fiquei cabreiro e a piranha notou e para humilhar o safado e me mostrar que quem manda na casa é ela, voltou a falar.
Meu corninho gostoso, eu chamei este macho para me foder a noite toda comemorando esta data auspiciosa, mas para isso eu preciso que você permita ele me comer e meter na minha boceta e no meu cuzinho e ainda eu fazer um boquete nele até gozar e me dar leitinho de beber, você deixa! deixaaaa meuuu corniiinhhoooo, vaiiii, favoooorrrrr, fazzz isso por sua mulherzinhaaaaa.
A mulher é muito escrota, depois disso tudo ela deu uma gargalhada bem gostosa e safada, se aproximou de mim e me deu um beijo pegando no meu pau e falou.
Cornooooo! Vai fala meu corninho de pica pequena, vai deixar esse garanhão me foder, eu quero festejar o seu natalício com honras de piranha, mas só se você disser que eu posso ser arrombada pela rola dele, vai corno, diz que deixa.
Novamente rasgou a gargalhada maior que a anterior, o escravo submisso, disse.
Você pode foder do jeito que quiser. Eu não mando em nada mesmo!
Juliana voltou a falar em outro tom.
Há seu corno de puta fodedora, você até que enfim falou com inteligência, mas não me venha com desfeitas, faça tudo como eu mandar que vai se sair bem.
Mandou o corno preparar as doses de whisky com gelo e ele trouxe três taças na mão, entregou uma para mim, outra para a esposa dele e ficou com a terceira, mas a putinha da mulher se levantou da cadeira, tomou-lhe a taça da mão e jogou o liquido na cara do corninho exasperada gritou em alto tom.
Eu mandei preparar a bebida para mim e para seu comprador, corno da rola murcha não vai beber conosco. Vá para o canto da parede de joelhos, eu lhe avisei para não me fazer desfeita e você deu ouvido a mercador.
O cara saiu de cabeça baixa e foi fazer o que a puta mandou, ela por sua vez abriu um sorriso largo e veio em minha direção e pegou o maior cacho de uvas suculentas e para humilhar mais o coitado, mostrava para ele botando, de uma em uma, na minha boca e ainda sacaneando com o corno.
Corninho, está vendo como se trata um homem de verdade, se dá uvas na boca como boceta que só quer receber na boquinha, mas a sua está guardada.
Tirou a minha camisa polo e mamou nos mamilos, chupando em um e com dois dedinhos apertando no outro trocando de posição de um para o outro, desceu a outra mão e segurou no cacete por cima da calça. No mesmo momento minha mão massageando seu peitinho e a outra no meio das suas coxas, ela sem calcinha, e o dedo entrando na boquinha da xereca e quando eu enfiei dois dedos lá dentro ela deu um grito agudo e chamou pelo corno com uma voz de aflição.
Meu maridinho por favor me acode, esse tarado está me furando na boceta com seus dedinhos fogosos e está muito gostoso, a culpa e sua porque deixou e agora ele vai enfiar sua pica e me furar e você não diz nada!
Arrastei-a para cima do sofá e a coloquei de quatro, tirei minha calça e de caralho em riste ralei na boquinha da xana e enfiei para dentro de uma só lancetada, se ela era bruta eu fui na brutalidade, puxei para fora vendo o buraco alargado da gruta na minha frente e meti toda a pica do mesmo jeito, repeti por umas horas sem lhe dar tréguas. A safada gritava a plenos pulmões e eu vi o corno com as mãos nos ouvidos.
Porra cara, assim doí muito, mas vai assim mesmo, mete gostoso, fode! Fode!
Não relaxei e foi doendo mesmo, botei para dentro e para fora acelerado numa foda na boceta como homem das cavernas, tapa na bunda e puxão dos cabelos e o pau entrando bem fundo batendo na contenção do útero e saindo numa rapidez vertiginosa, tirei toda e lá está o buracão na boceta e quando ia se fechando eu empurrava toda e o tição voava para o fundo do poço alagado e bem lubrificado, era uma trepada vertiginosa digna de festa de aniversário de casamento de corno e puta. A piranha não parava de gemer e gritar, contorcia o corpo, rebolando as ancas e jogando o quadril para traz quando meu pau estava entrando, ela é uma puta que sabe foder, mas eu pressenti que essa movimentação elevava a sua excitação e o clímax se aproximando, seus gritos aumentaram e os gemidos se alteraram e pulava sem parar foi ai que a safada deu umas quatro gingadas no meu cacete e nos dois atingimos o ápice de um erotismo fecundado de adubos de boceta, gala como milhões de sementinhas, e ela só parou de mover a bunda quando sentiu a última gota de esperma depositado na sua cavidade vaginal e sua boceta toda galada. Eu demorei para tirar meu pau de dentro, esperei que ela mesma saísse, e liberasse a pica que viu o fenômeno acontecer, o pau entrou seco e saiu pingando. Ela segurando nele com jeitinho de prostituta, chama o corninho e fala.
Cornooooo! Vem aqui rápido, isso mesmo; agora vai ali no armário e pega duas fatias de pão de forma, daquele que você gosta e traz para mim.
O cara foi e voltou com o pedido da esposa puta e entregou a ela. A safada com o meu pau cheio de gala passou o pão de um lado para o outro, lambuzou cada fatia e depois juntou as duas e deu para o corno dizendo.
Você já viu que seu cliente me comeu e gozou dentro da minha boceta e eu estou melada de gala e escorrendo pelas coxas, você gostou do que viu.
Ele estava cabisbaixo, mas ela continuou mostrando as fatias na mão dele.
Esse é o seu lanchinho, pão fatia recheado de gala, vai come corno, você gosta.
O cara olhou para mim com olho pidão, mas eu não podia fazer nada.
Ho Gabriel, não sei o que dizer, sua esposa manda e você cumpre.
O cara deu a primeira mordida no pão galado mastigou e engoliu fazendo careta e continuou comendo até terminar o ultimo pedaço. Ela deu uma gargalhada e falou.
Você gostou do pão galado não foi, depois tem mais.
Ele então falou.
Você tem umas coisas, oferece uva para ele e para mim dar pão galado.
Ela ficou vermelha de raiva porque ele lhe enfrentou e então observou.
Então é isso, o corninho quer chupar uvas, está certo eu vou lhe dar uvas.
Juliana pegou um cacho de uvas e meteu dentro da boceta mexeu lá dentro, quando tirou estava coberto de esperma e foi botando na boca do corno de uma em uma e obrigando a ele lamber e chupar antes de engolir e foi assim até terminar o cacho.
Gotoso uva recheada, o corninho gosta da sua gala AF, agora passa a língua.
O cara fazia tudo que ela mandava sem se queixar senão o castigo era pior, mesmo assim, ela não estava satisfeita e veio com outra moda.
Vem cá corno, vou lhe dar um presente, bolacha bem gostosa recheada.
Passou a bolacha na boceta e com ela cheia de esperma deu na boca do corno que comeu com gosto. Aí veio mais sacanagem, ela mandou o corno chupar sua boceta.
Vem cá corno, minha boceta está cheia de gala e só você sabe limpar, chupa minha boceta toda galada e limpa ela com a língua,
Ele lambeu a gala até encher a boca e mostrou a boca inundada de porra e depois engoliu tudo, lambeu novamente o restinho e engoliu a gala. A mulher safada ainda não satisfeita ela falou.
Corninho vem cá, agora você vai limpar a rola do meu macho, tem que chupar e lamber a pica dele até ficar bem limpinha e lubrificada com sua baba para ele meter no meu cuzinho, vai corno faça como estou mandando.
O corninho manso veio engatinhando de quatro até onde eu estava e ficou lambendo a rola da cabecinha até o pezinho, chupando com ela dentro da boca, lambeu da cabecinha ao talo, várias vezes até ficar bem limpinha, mas ela queria humilhar.
Agora corno, chupa os ovinhos colocando dentro da boca e chupa jogando de um lado para o outro e depois de um em um bem direitinho, quero que satisfaça ao meu parceiro de foda já que você é o homenageado aniversariante.
O manso fez de acordo com o que ela ensinou, mas deu zebra e eu não aguentei a chupada dos ovos e me preparei para gozar, a puta viu minha pica inchando e pulsando então ela veio junto e pegou a caceta e colocou dentro da boca do corno e eu esporrei na goela do cara e ela ficou brincando com ele dizendo.
Todo corno tem sorte, que presente de aniversário que você recebeu, primeiro comeu pão de forma recheado com esperma, pediu e eu dei na boquinha uvas suculentas com cobertura de gala, bolacha galada e está bebendo leitinho de pica cremoso e quentinho direto da fonte.
E sacaneando até comigo brincou.
Meu caro AF, você ganhou um depositário de gala, toda vez que quiser gozar lá na empresa, chama o meu corninho que a boca dele vai absorver todo esperma que sair do seu pau e vai engolir tudinho porque acha gostoso.
Ficamos algum tempo conversando enquanto descansava, eu comia uvas na boquinha e o corno lambia a boceta da sua mulher e depois ela mandou ele chupar o cuzinho dela já lubrificando para eu meter e ele fez com habilidade, deixou o chicote dela todo molhado de cuspe e baba. Ela de frango assado e eu encostei a cabecinha do caralho ainda meio bambo e fui empurrando no orifício engelhado ajudado com os dedos para entrar. A rola dobrava e eu apertando com os dedos até que a glande entrou e eu dei uma empurrada com forca e o tarugo embocou cuzinho abaixo até o talo, não ficou nada de fora e ela aguentando a taca entrar e sair. Uma das vezes que eu tirei toda de dentro ficou a vista um rombo de aproximadamente oito centímetros de raio, mas ela aguentava sem chiar e foi assim, entrando e saindo e ela mexendo a bunda e as ancas, em dado momento já com o clímax a flor da pele ela jogou o braço para traz e me puxou pelo pescoço e botou minha boca fungando no seu cangote, eu empurrando e ela mexendo gemendo e gritando.
Safado vai assim mesmo, bota tudo. Está doendo mas fode assim mesmo, fode, mete gostoso, mete com forca nesse cu de puta.
Coloquei dois dedos na buceta dela e outro alisando seu pinguelo fazendo ela gritar mais alto e gemer feito uma cadela, meu pau entrando todinho no cu e ela empurrando a bunda para traz, me segurando com a mão no meu pescoço e as pernas dobradas com os calcanhares forcando minha bunda entrou em crise.
Mete com forca, empurra até o fim, esta gostoso, eu estou no fim, vou explodir e não tenho mais o que fazer, vai X, mete e goza dentro desse cuzinho que eu sei que você gosta, fode esse cu, fode esse cu com forca, fode, fode.
Pensava que depois de gozar nela e na boca do corno não ia mais ter orgasmo, mas foi engano, logo minha pica começou a engrossar e crescer, uma dorzinha na cabecinha indicava que estava quase estourando e em alguns segundos foi esperma no cu dela enchendo o conduto anal e ela, literalmente, pulando no sofá alucinada, falando coisas inaudíveis, gemendo e gritando, pedindo mais.

Vai cara, mete com forca eu estou quase gozando, já senti seu leitinho quente lá dentro e agora vou jorrar o meu, mete com for eu estou gozandooooo, estouuu gozanndoooo, queeee coisaaa gostosssaaa, gosandoooooo!

Ficamos alguns minutos parados com a rola toda enfiada, curtindo este momento tão gostoso, ela nem se mexia e eu preso pelas suas mãos no meu pescoço e os calcanhares na bunda. Juliana não queria me soltar e a posição já ficava desconfortável, então abordei um gesto infalível, apertei dois dedos de cada lado do seu abdômen duas vezes, ela deu um sopapo para traz e soltou a pressão das mãos e dos pês. Eu pude sair do seu cuzinho ileso. Virei para o lado com o pau amolecendo e o cu dela com um buraco que demorou a se fechar e ainda respingando gala. Mas isso não era problema, chamou o corninho limpador de boceta e cu e puxou pelos cabelos forcando sua boca no cuzinho, ele se ocupou em lamber o orifício engelhado sugando e lambendo o esperma que escorria, metia os dedos lá dentro e puxava com gala e colocava na boca, já estava tão experiente que em poucos minutos ficou limpo e ele sem ela mandar pegou a minha vara cheia de gala e lambeu, chupou meu pau dentro da boca usando a língua e logo estava todo limpo da cabeça ao pezinho.
Eu disse que esse corno gosta de beber leitinho quente saído da fonte, eu acho que ele batia punheta nele mesmo, lambia e engolia a gala dele. Na próxima vez que eu for foder na frente dele eu vou mandar o macho meter no cu dele, eu acho que ele gosta. Ou já levou rola antes, ou quer levar agora ou vai levar depois. Ele faz um boquete direitinho, sabe chupar, sabe lamber da cabecinha ao pezinho, sabe engolir toda dentro da boca, sabe chupar os ovinhos com o saco dentro da boca só falta eu ver ele dando o cuzinho. Logo eu vou ver esse corninho manso espetado com uma rola no cu, pode crer.
Depois de tudo a comemoração de aniversário chegou ao fim e eu me despedi da puta e do corno e fui direto para casa.
FIM,


Ver mais relatos de contos eróticos com fotos

Deixe seu comentário

Meus contos eroticos é o melhor site de relatos eróticos da internet. Sempre com os contos mais picantes e cheios de sensualidade. Aqui tem um acervo de histórias reais sobre sexo, para todos os gostos. Tem contos pornô gay, hétero, fetiche, corno, coroas e muito mais. O meu contos eróticos é atualizado diariamente, trazendo para os leitores, o melhor em conteúdo totalmente grátis para você soltar a imaginação e curtir muito prazer com cada relato real contado aqui. Você pode compartilhar com a gente o seu conto, basta clicar no link e colocar a criatividade em prática, contemplando os leitores com suas experiências sexuais mais safadas.
© 2023 - CONTOS ERÓTICOS – Contos Eroticos, Sexo e Porno

porno - contos eroticos - contos eróticos - quadrinhos eroticos - hentai - Filmes Porno - Xvideos - Porno - Porno Gratis - Caiu na net - Buceta