O dia que perdi a virgindade

  • março 20, 2020
  • 3722 views
16 votes

Essa historia que vou contar aconteceu de verdade. Hoje estou com 23 anos e meu nome é Paloma (fictício).
Uma certa vez, uma família se mudou para uma casa próxima da minha. Eles tinham dois filhos lindos. Eu Me apaixonei de cara por um deles,  que chamarei aqui de Diego (fictício). Assim como eu, várias garotas do bairro também começaram a dar bola pra eles, que rapidamente ficaram super conhecidos e pegaram muitas delas. Só que o Diego parece que nem me via, não me dava atenção e nem falava comigo.

Depois de muito tempo eu tive coragem e falei para uma amiga, que era vizinha dele, que estava apaixonada pelo Diego. Não sei se ela falou alguma coisa com ele, mas logo depois o tratamento comigo mudou. Me cumprimentava sempre, dava sorrisos e até fazia piadinhas de brincadeira, mas sem nunca tentar me namorar ou ficar comigo. Eu achava que nunca ia passar disso, mas pelo menos agora ele já sabia que eu existia.

Para minha surpresa, ao passar por mim um dia na rua, ele me chamou e perguntou onde eu estava indo. Eu falei que ia à cidade para comprar umas coisas para mim. Eu estava com maquiagem e os lábios pintados com um batom bem forte. Ele falou que eu estava bonitinha e depois, sorrindo falou a seguinte frase:

– Ainda vou sujar minha boca com esse batom. Deu um sorriso e saiu andando.

Eu fiquei meio sem saber o que fazer, acho que fiquei vermelha da cabeça aos pés, mas contente por dentro.

Passados mais alguns dias, de novo nos encontramos na rua, eu estava indo para casa de uma amiga e vestia um vestido amarelo. De novo ele parou junto de mim e sem mais nem menos falou:

– Ainda vou chupar essa manga todinha. E de novo foi embora sorrindo. Eu fiquei parada, sem saber o que estava sentindo e depois segui o caminho pensando no que ele queria falar com aquilo.

Passou algum tempo, onde foram várias piadinhas assim, me chamando de bonitinha, gostosinha, sempre sem ninguém por perto.

Um dia uma amiga minha me convidou para a festa do aniversário dela. Seria numa sexta-feira à noite e a festa começaria cedo, pois o condomínio só permitia festas até meia noite. Cheguei lá era umas 19:00 hs e o pessoal já estava conversando e dançando.

De repente percebo o Diego na festa e me disseram que ela era amigo da aniversariante. Durante a festa todos bebemos um pouco, nada muito forte, só cervejas e alguns drinks. Depois de tomar uns drinks eu me animei e comecei a dançar também, inclusive algumas vezes com o Diego, mas ele não falou nada demais.

Lá pelas 23hs, foi cantado o parabéns, cortou o bolo e depois teve que baixar o volume do som e as pessoas começaram a se despedir. Eu falei para minha amiga que também estava indo embora, pois minha mãe tinha viajado, só voltava domingo e eu estava sozinha. Ela então me perguntou se o Diego não morava perto da minha casa e eu disse que sim. Então ela perguntou a ele, que estava no nosso grupinho, se ele podia me dar uma carona, já que morava perto de mim e estava de carro. Ele imediatamente disse que sim, mas que também não ficaria até tarde, pois tinha um compromisso no sábado bem cedo.

Bom, quando era 23:30hs ele falou que ia embora, nos despedimos do pessoal e descemos para pegar o carro. Ele saiu com o carro, andou uns 10-20m e parou. Eu perguntei o que foi e ele falou:

– Lembra que eu falei que ainda ia sujar minha boca com esse seu batom? Pois é, vai ser agora.

Me abraçou, me puxou para ele e eu nem tive reação. Me deu um beijo na boca bem longo, passando a língua nos meus lábios, dando pequenas mordidinhas deliciosas, e eu, é claro, correspondi, pois tinha sonhado muito com isso, só não esperava que fosse assim. Em quanto me beijava senti sua mão percorrendo meu corpo, me alisando e acariciando e aquilo foi realmente uma delícia.

Depois ligou novamente o carro e começou a andar, na direção da minha casa, que ficava perto, uns 10 minutos dali.

Ao chegar à esquina da minha rua tornou a parar o carro e disse que tinha gostado muito do nosso beijo e queria outro antes de eu ir embora. Claro que eu deixei e aí foi ainda mais intenso, com vários beijos de língua, beijos no rosto, no pescoço, sempre passando as mãos em meu corpo. Eu já estava ficando bastante excitada com os beijos e carinhos do Diego, quando ele me falou:

(Diego)- Eu disse que ia sujar minha boca toda com seu batom e já fiz isso. Depois eu falei que ia chupar a manga toda, acho que chegou a hora.

(Eu)- Tá maluco, alguém pode passar na rua e ver, tá cheio de fofoqueira aqui.

(Diego)- Eu vi você falando para a Juju (fictício) que queria ir embora cedo porque sua mãe viajou e você estava sozinha em casa, não foi? Por isso ela até me pediu pra te trazer. A gente podia ficar lá um pouco.

(Eu)- As pessoas vão ver a gente saindo do carro e entrando em casa e vão ficar falando.

(Diego)- Faz assim, eu deixo você aqui, você anda até a sua casa enquanto eu dou uma volta no quarteirão. Quando eu entrar na rua dou uma piscada no farol e você abre o portão e eu entro. Ninguém vai perceber, o carro é quase igual ao da sua mãe e já tá tarde, ninguém vai ver.

Eu fiquei um tempo pensando, sabia que não devia fazer isso, mas acho que nessa hora não é a cabeça que manda e acabei aceitando.

Quando vi o carro entrando na rua e piscando apertei o botão do portão e ele foi abrindo, certinho no tempo do carro chegar entrar na casa. Daí tornei a fechar enquanto ele manobrava pra deixar de frente para a saída.

Quando o portão fechou e ele saiu do carro, me abraçou e andamos para a porta da casa, que eu abri com meu chaveiro e entramos. Assim que entramos na sala, sem nem acender a luz da sala ele me abraçou e começou a me beijar, me acariciando e apertando meu corpo contra o dele.

O dia que perdi a virgindade

Enquanto nos beijávamos ele já foi desabotoando meu vestido, que logo caiu no chão. Ainda no escuro me empurrou carinhosamente na direção do meu quarto e entramos. Só então acendi a luz e fiquei com vergonha, por estar só de calcinha e sutiã ali com ele. Ele sentou na beira da cama e ficou me olhando e eu não sabia o que fazer, até que pegou minha mão e me fez sentar ao seu lado.

Logo reiniciou com seus beijos e carícias, tirando meu sutiã e me deitando na cama. Eu já não conseguia mais falar nada e apenas sentia sua boca, seus lábios e sua língua passeando pelo meu corpo inteiro, da cabeça aos pés. Quando ele começou a beijar e sugar nos meus seios, fiquei louca, parecia que estava em outro mundo e me contorcia e gemia, principalmente com pequenas mordidas que ele dava nos bicos, o que me enlouquecia de tesão.

Depois de beijar, passar a língua e chupar todo meu corpo ele carinhosamente começou a abaixar minha calcinha e a fazer carinhos nas minha xana, que a essa hora já estava completamente encharcada. A sua língua percorria minha xana de cima a baixo indo e voltando e a cada vez que tocava meu clitóris eu estremecia toda. Eu nem percebi, mas ele também já tinha tirado sua roupa e comecei a sentir seu membro quente roçando em meu corpo.

Aos poucos ele foi subindo, beijando minha barriga, depois os seios até chegar na boca. Senti então seu membro esfregando na minha xana até se encaixar na porta da vagina. Então mais uma vez ele me beijou com força e dando um apertão no corpo, senti seu pau entrando em mim e a dor do hímen sendo rompido. Nem gritei, foi apenas um suspiro profundo. Ele aos poucos foi empurrando seu pau e eu sentindo as carnes da minha bucetinha se abrindo para a entrada dele. Foi uma sensação muito diferente, um pouco de dor e muito de prazer, até que ele entrou todo.

Ele deu uma parada, me elogiando, dizendo que eu era gostosa, maravilhosa e logo começou os movimentos de vai e vem, com o pau entrando e saindo, a principio devagar, mas aos poucos foi acelerando. Eu ouvia os gemidos dele e o barulhos do pau entrando e saindo de minha bucetinha, já com certa facilidade, pois estava bastante lubrificada. Não demorou muito e ele começou a gemer mais forte e acelerar os movimentos e fazer com mais força até que eu senti seu corpo tendo contrações e o liquido quente esguichando dentro da minha buceta.

Meu Deus, que delicia de sensação, sentir gozando dentro de mim, as contrações do pau, os esguichos quentes no fundo da buceta. Nunca imaginei que seria tão gostoso. Eu mesmo sem ter experiência me contorcia, apertava ele contra meu corpo e mexia me ajeitando para sentir melhor seu pau dentro de mim.

Ele parou por alguns minutos, ofegante, sem tirar de dentro. Logo então voltou a movimentar, entrando e saindo, aumentando o ritmo aos poucos, me deixando cada vez mais louca. Eu gemia muito, me mexia por baixo dele tentando acompanhar o seu ritmo e comecei a sentir uma sensação como uma onda de calor subindo pelo meu corpo até terminar numa explosão interna que eu nunca tinha sentido antes. Foi um orgasmo tão forte que me deixou tonta, eu gemia, apertava ele contra meu corpo e cheguei ate a machucar ele sem querer com minhas unhas apertando suas costas. Como ele já havia gozado antes, continuou bombando forte, o que fez com que eu tivesse um segundo orgasmo delicioso. Nunca imaginei antes que seria possível ter assim dois orgasmos seguidos e como isso era delicioso.

Diego ficou bastante tempo assim, variava o ritmo, as vezes mais devagar, as vezes mais rápido, uma vezes bem suave, outras com força, me fazendo gemer mais alto. Não sei quanto tempo ficamos assim, até que ele começou a levantar minhas pernas e colocou sobre seus ombros, passou os braços sob meu corpo e começou a bombar com força na minha buceta, a cabeça do pau batendo no fundo, a pelinha da entrada da buceta ardendo. Eu sentia um misto de dor e tesão com aquilo, o som dos gemidos dele e o barulho do pau entrando e saindo da minha buceta encharcada me deixavam doida. Não demorou muito eu comecei a gozar de novo e ele então também gozou forte dentro de mim.

Arriamos os doís na cama, cansados, suados e ofegantes. O pau dele ainda dentro da minha buceta, que mesmo sem eu querer se contraia num ritmo que aos poucos foi diminuindo ate parar. Depois de alguns minutos ele então falou:

– Agora você já é mulher, minha mulher muito gostosa.

E começou a me beijar, na boca, nos rosto, nos olhos, parecia um sonho. Aos poucos foi tirando o pau de dentro de mim e sentou na cama ao meu lado. Percebi que o pau dele estava um pouco sujo de sangue e ao olhar para minhas coxas vi que eu também estava. Me levantei e aquela gosma branca misturada com sangue começou a escorrer nas minhas coxas. Ele percebeu que eu me assustei e falou:

– Calma! Vai no banheiro se lavar que isso já passa, é assim mesmo na primeira vez. Quer que eu e ajude?

Eu cheia de vergonha disse que não e fui andando pro banheiro, onde me lavei bastante, pois o esperma dele continuava escorrendo. Depois de bem limpa me enrolei numa toalha e voltei para o quarto. Ele então se levantou e foi para o banheiro. Notei na cama uma pequena poça de esperma misturado com sangue, que eu limpei com a toalha, mas sabia que depois ia ter que lavar o lençol antes de minha mãe voltar pra casa.

Quando ele voltou perguntei se ele não queria comer alguma coisa e ele brincando falou que já tinha comido, mas queria comer de novo. Eu falei que ia pegar alguma coisa pra gente comer e fui para a cozinha procurar. Fiz dois sanduíches de queijo, botei dois copos de coca-cola e voltei pro quarto. Comemos sentados na cama e eu percebi que o pau dele já estava ficando duro de novo. Mal acabamos de comer, ele me abraçou e novamente começou a me acariciar, me beijar, falando que eu era mulher dele.

Surra de pica na primeira transa

Aos poucos eu também fui ficando excitada e logo ele me jogou na cama e me virou de bruços. Deitou em cima de mim, beijando meu pescoço, minhas costas e passando a língua atrás de mim, o que me deixava arrepiada. Sentia o pau dele, agora já totalmente duro e quente roçando entre as minhas coxas. Ele então passou as mãos por baixo do meu corpo, foi levantando e me pediu para ficar de 4. Eu fiquei com medo, mas ele falou pra não me preocupar porque não ia fazer nada atrás não. Então eu fiquei de 4 e ele afastou minhas pernas entrando no meio.

Logo senti que ele começou a esfregar a cabeça do pau pra cima e pra baixo na minha buceta, que já estava bem molhada de novo. Cada vez que passava no meu grelinho me dava um arrepio e eu gemia. De repente, numa dessas esfregadas ele me puxou pela cintura e senti o pau entrando de uma vez só e indo bater no fundo da minha buceta.

Dei um grito com a dor que senti, parecendo que ele estava me rasgando ao meio. Ele então começou a bombar com força, bem depressa e eu gemia muito. As peles da minha bucetinha parece que entravam e saiam junto com os movimentos do pau dele. Algumas vezes ele tirava completamente e na mesma hora enterrava de novo, fazendo com que eu gritasse de dor e tesão. Ele parecia doido e se excitava cada vez mais com meus gritos e gemidos. O pau dele entrando e saindo fazia um barulho estranho na minha buceta, misturando aos meus gemidos e aos dele.

Ele também falava sacanagens no meu ouvido, me chamando de gostosa, de mulherzinha, bucetuda e putinha. Eu já suava e senti ele também suando sobre mim. Minha buceta ardia, mas em nenhum momento pensei em pedir para ele parar. Depois de muito tempo assim eu não aguentei mais e comecei a gozar e com isso ele logo se excitou e começou a gozar também, estocando fundo na minha buceta. Arriamos os dois então ofegantes em cima da cama ele falou pra mim:

– Caralho… que buceta gostosa. Você aguentou bem eu meter com força logo no primeiro dia. Parabéns, você é mais mulher do que muitas garotas mais velhas que tem aqui no bairro. Agora nós vamos meter sempre que a gente puder e vou te ensinar tudo que um homem e uma mulher fazem na cama. Fala a verdade, você gostou? Doeu muito?

Eu falei que tinha doido sim, que minha buceta estava ardendo, mas que eu gostei sim. Ele então disse que nas próximas vezes eu ainda ia gostar mais, pois já estaria acostumada com o pau dele.

Ficamos deitados na cama para descansar e depois de algum tempo ficamos de conchinha, com o pau dele roçando na minha buceta, que estava toda melada com o leite dele. As vezes ele enfiava de novo, ia ate o fundo, eu dava um gritinho e ele tirava. Ficamos brincando assim muito tempo.

A gente já tinha descansado bastante e eu levantei para ir no banheiro e vi que ainda tinha um pouquinho de sangue, mas bem menos que antes. Me lavei e voltei para a cama e falei com ele, e ele disse que isso era normal porque não cicatriza logo no primeiro dia, mas depois não teria mais. Eu falei que já era tarde e que era melhor ele ir embora. Ele então me disse que queria fazer mais uma vez e depois ia.

Dessa vez ele deitou na cama e mandou eu sentar em cima dele. Eu não sabia fazer direito mas ele ajeitou a cabeça do pau na entrada da buceta e mandou eu ir arriando. Como eu tinha me lavado e ainda não estava molhada de novo o pau foi entrando esgarçando as peles da buceta, dando um ardido, mas era gostoso. Ele me ensinou a fazer os movimentos pra cima e pra baixo, pra frente e pra trás e ele fazia junto comigo. Ai quando a gente já estava bem excitados fazendo isso, ele botou os dedos na minha buceta e começou a esfregar meu grelo. Não demorou muito comecei a sentir que ia gozar de novo e acelerei os movimentes sentindo um prazer imenso. Tive um gozo bem demorado e ele então passou a estocar forte por baixo de mim, batendo a cabeça do pau no fundo da minha buceta até que gozou novamente.

Depois disso eu falei para ele ir embora, já ia começar a clarear e alguém podia ver ele saindo. Nem tomamos banho, ele se vestiu, eu botei uma camiseta e fui abrir o portão para ele sair com o carro. O leite dele escorria nas minhas coxas enquanto eu andava.

Ele saiu com o carro, fechei o portão e fui direto tomar um banho. Só então eu me lembrei que eu podia ficar grávida de tanto que ele gozou dentro de mim e começou a bater um medo. Mas isso é um assunto que eu conto depois se vocês gostarem da minha estória.

Desculpe se foi um pouco longa, mas procurei ser o mais fiel possível ao que se passou naquela noite. Prometo que nas próximas vou contar tudo o que fizemos nas diversas vezes que transamos depois dessa e que foram maravilhosas.


Ver mais relatos de contos eróticos com fotos

7 comentários para “O dia que perdi a virgindade

  1. puta • 27 de março de 2020

    Eu arrobei a minha buceta com uma banana verde

    • Marcelo • 10 de abril de 2020

      Eu estou tocado uma punheta bem gostosa pensando em você com a banana gozando para com isso vamos fazer uma sacanagem bem gostosa eu vou trásforma você numa putinha bem safada eu vou mostrar para você o que o prazer eu vou chupa e lamber enfiar a minha língua na sua buceta bem gostoso até você gozar com minha língua depois eu vou enfiar a minha língua no seu cuzinho fazendo você gozar como nunca gozou na sua vida depois eu vou brincar de esfregar a cabeça da minha piroca na portinha da sua buceta e seu cuzinho fazendo você ter um orgasmo que você merece depois eu vou enfiar a minha piroca que é bem grande e Grosso com uma cabeça linda na sua buceta depois eu vou enfiar no seu cuzinho fazendo você gozar pelo cuzinho bem gostosos você que ser a minha putinha na cama mandar uma mensagem

    • Nanda • 13 de julho de 2020

      Eu perdi a minha na ponta da cabeceira da minha cama. Eu só esfregava mas acabei escorregando e entrou. Meu pai que estava em casa. Foi uma vergonha

  2. Ana • 29 de março de 2020

    O meu namorado tirou a virgindade do meu cu, no dia do meu aniversário. O meu pai me pegou recebendo o meu presente no meu cu. O meu namorado ficou com medo e saiu, foi embora, fiquei sozinha com ele no quintal.. ele acabou de tirar a virgindade do meu cu … tirou o selo da minha buceta virei a puta dele

    • andre • 12 de abril de 2020

      tambem gostaria de lhe conhecer e brincamos bastante ..podiamos bate papo nos conhecer numa conversa

  3. Pauzudo42 • 30 de março de 2020

    Delociosa me chama pra enfiar essa chibata de pinto em você

  4. J. • 21 de setembro de 2020

    Tive que dar pra ele quase todo dia durante 4 anos, mas depois de um tempo acabei me acostumando e gostando, ja nem doía mais, doía um pouquinho so quando tava entrando a cabeça pq era muito grande. Assim que me tornei bissexual ja dei para uma travesti que tem 29 cm de rola hj só fico com mulher e travesti E prefiro as mais pauzudas. Whatspp xxxx

Deixe seu comentário

Meus contos eroticos é o melhor site de relatos eróticos da internet. Sempre com os contos mais picantes e cheios de sensualidade. Aqui tem um acervo de histórias reais sobre sexo, para todos os gostos. Tem contos pornô gay, hétero, fetiche, corno, coroas e muito mais. O meu contos eróticos é atualizado diariamente, trazendo para os leitores, o melhor em conteúdo totalmente grátis para você soltar a imaginação e curtir muito prazer com cada relato real contado aqui. Você pode compartilhar com a gente o seu conto, basta clicar no link e colocar a criatividade em prática, contemplando os leitores com suas experiências sexuais mais safadas.
© 2020 - Contos Eróticos – Contos de Traição, Incesto, Pornô e Sexo

porno - xvideos porno - quadrinhos eroticos - hentai - Xvideos - Xvideo - Xvídeos - Acompanhantes DF - X Videos - Filmes Porno

error: